terça-feira, 26 de janeiro de 2010

7° Cap. Pais VS Filhos (3° Pessoa)

Lindsay abriu o envelope de presa.
- Aqui tem o que sobre a coisinha? – Lindsay perguntou enquanto passava um rápido olhar na folha.
- Bom – Paris começou enquanto se sentava do lado da Lindsay – Isso foi o que eu consegui do site da outra escola da Vanessa. Ela é um gênio como você pode ver.
- Isso eu já sei Paris – Lindsay disse impaciente – Eu quero saber se ela tem uma ficha suja pra mim poder usar contra ela?!
- Se esse é seu plano acho melhor pensar em outra opção – Paris sugeriu – A ficha dela é totalmente limpa. Ela nunca aprontou nada.
- Tem que ter alguma coisa – Lindsay insistiu
Ela olhou pras folhas e começou a ler. Nelas falavam que a Vanessa tinha conseguido muitos prêmios estudantis e era a garota mais inteligente da outra escola.
- Isso não é bom – Lindsay lamentou
- O que? – Paris perguntou
- Eu tenho observado o grupo onde a Vanessa está já faz algum tempo – Lindsay falou – E percebi que todo mundo gostam deles.
- Como assim? – Paris perguntou
Lindsay suspirou, ela se esqueceu que paris era uma novata.
- Meu grupo é o mais popular – Lindsay explicou – Mais se não houvesse ele, o grupo da Ashley seria o popular.
- Entendo – Paris disse – Que dizer que não é só a Vanessa que é um perigo pra você, é o grupo inteiro.
- Isso mesmo – Lindsay concordou – Eu tenho que dar um jeito nesse grupo.
- A forma mais fácil é separa –lós
- Como assim? – Lindsay perguntou
- O grupo é o perigo – Paris explicou – Separado eles não vão ser problema.
- Você é um gênio – Lindsay sorriu – Eu já sei até o que fazer.
Paris se aproximou mais da Lindsay para ouvir o plano dela. E as duas passaram a tarde inteira planejando os detalhes.

Enquanto isso com Avril...
Depois da escola ela ficou passeando de carro, tentando chegar em casa o mais tarde possível. Ela sabia que seu pai estaria em casa cuidando de sua mãe que tinha uma saúde frágil. E não queria se encontrar com ele.
Como ela sempre fazia, passou no Café Black. Uma lanchonete que era muito conhecida pelos adolescentes do bairro.
Ela passava pelo menos uma vez por dia lá, Avril adorava o capo tino com chocolate de lá.
Quando chegou em casa seus pais esperavam por ela na sala.
- Avril precisamos conversar – John falou seriamente
Avril suspirou. Era isso que ela estava tentando evitar com o pai.
- Pai hoje não – Avril pediu entediada - Por favor eu não quero brigar.
- Como você quer que eu não brigue depois de ver as sua notas? – John perguntou atirando um boletim na mesinha do centro da sala.
- É o meu boletim do bimestre passado – Avril disse chocada – Isso estava no meu quarto.
- É – John concordou – Escondido no seu quarto.
- Com que direito você entra no meu quarto e meche nas minhas coisas.
- Eu sou o seu pai – Ele disse como se estivesse justificado.
- E só porisso tenta controlar a minha vida como se eu tivesse 3 anos – Ela disse exaltada.
- Não briguem por favor – Pediu Judy do sofá. Ela estava sentada com uma coberta nas pernas.
Sua aparência era frágil, seu rosto pálido e sua voz fraca. Qualquer um via como ela estava doente.
Avril olhou pra mãe, ali doente precisando dela e respirou fundo pra não perder o controle.
- Olha pai – Avril disse se virando pra ele. – É a ultima vez que eu te falo, não entra no meu quarto, não meche nas minhas coisas, não me trate como uma criança. Se não eu vou fazer como o Mat e a Michelle, vou arrumar minhas coisas e vou embora dessa casa.
Avril pegou o boletim na mesinha e disse
- Essas são as minhas notas sim – Ela disse mostrando o boletim – São uma droga por que eu não tenho interesse de estudar, eu quero ser cantora, quero dedicar o meu tempo a sua coisa que eu goste. E se você continuar me irritando eu largo de ver a aquela droga.
Ela se virou e deixou o seu pai sozinho gritando pro vento.
Avril queria fazer o que os irmãos tinham feito. Mat o mais velho tinha arrumado suas coisas assim que fez 18 anos e arrumou um apartamento pra ele. Já a Michelle Nem esperou fazer 18, ela conseguiu uma bolsa de estudos na Inglaterra quando tinha 16 e foi embora fugindo do pai que não tinha dado autorização (Com a ajuda de Avril)
Mais Avril não conseguia deixar a Mãe naquele estado. Ela começou a ficar doente depois que seus filhos saíram de casa. E Avril tinha medo que a Mãe piorasse se ela fosse também.

Enquanto isso com Vanessa...
Ela estava na sua casa com a Miley, elas estavam estudando, como Vanessa tinha prometido ela estava ajudando Miley pra sua prova de matemática
As duas estavam no quarto da Vanessa
- Então – Vanessa disse com um sorriso satisfeito – Você melhorou 50% desde que começamos a estudar.
- Também, estamos aqui já faz 3horas – Miley disse massageando o pescoço.
- Vamos descansar um pouco – Vanessa sugeriu – Minha mãe já deve ter terminado o bolo de chocolate.
- Eu adorei sua mãe – Miley disse sorrindo. Quando Miley chegou Gina a recebeu como um convidado de honra, dizendo que ia preparar um bolo pras duas.
- Minha mãe é incrível – Vanessa disse com um enorme sorriso.
- E seu pai? – Miley perguntou
Vanessa não fez uma cara muito feliz.
- Ele é legal – Vanessa disse sem olhar pra ela.
Miley ficou se perguntando o que a Vanessa tinha.
O celular da Miley tocou. Pela tela do celular ela viu que o telefonema não era pra “ela” e sim pra Hannah.
- É... Vanessa... – Miley disse atrapalhada – É meu pai. Eu vou atender aqui no corredor.
- Claro – Vanessa disse despreocupada
Miley se levantou e foi atender o celular no corredor vazio
- Alô? – Miley sussurrou
- Hannah? Sou eu a Karla – Ela disse
- Oi Karla – Miley disse pra sua empresaria – Olha você tem que falar rápido, eu to na casa de uma amiga, que não sabe do meu segredo.
- Há, claro – Karla disse – Eu estou agora com o empresário dos Jonas Brothers preste a fechar um contrato com ele.
- Jonas Brothers? – Miley disse animada
- Isso mesmo – Karla respondeu - Eles querem fazer uma musica com você.
- Serio? – Miley perguntou chocada.
- Isso mesmo, você quer?
- Claro – Miley respondeu em voz alta, depois abaixou o tom da voz – Claro que sim.
- Ótimo – Karla disse – Depois agente se fala.
- Ta – Miley desligou o celular com um sorriso de orelha a orelha. Recompôs sua expressão antes de entrar no quarto mais não o suficiente para a Vanessa não perceber.
- Feliz? – Vanessa perguntou avaliando sua expressão.
- Deu pra notar? – Miley perguntou preocupada
- Seus olhinhos azuis estão brilhando – Vanessa sorriu de uma forma educada.
- Só recebi uma boa noticia do meu pai – Miley sorriu
Vanessa sorriu também, mais não perguntou o que era. Ao invés disso ela reparou que havia uma mancha na causa da Miley
- O que é isso? – Vanessa perguntou apontando pro bolso manchado de tinta.
Miley olhou pra própria causa, colocou a mão no bolso e tirou de lá uma caneta estourada
- Droga – Miley reclamou – A caneta estourou dentro do meu bolso.
- Vai no banheiro pra limpar – Vanessa disse apresada – Se não essa mancha não sai mais.
- O.k Joga no lixo pra mim?! – Miley disse entregando a caneta pra ela
Miley foi até o banheiro e Vanessa jogou fora a caneta. Quando derrepente o celular da Miley tocou. Ela tinha esquecido ele em cima da cama
Vanessa ficou indecisa, mais ela achou que podia ser o pai da Miley e atendeu
Antes que Vanessa pudesse dizer qualquer coisa a voz da mulher começou a falar desesperada.
- Hannah você não vai acreditar – Karla disse – Os Jonas Brothers estão loucos pra te conhecer.
- Desculpa – Vanessa disse confusa – Eu acho que você ligou errado.
- Como assim? Com quem eu to falando?Esse celular não é o da Hannah? – Karla perguntou assustada pela voz desconhecida.
- Não esse celular é da Miley – Vanessa disse – E quem fala é uma amiga dela
Karla se lembrou derrepente que a Miley tinha dito que estava na casa de uma amiga que não sabia do seu segredo.
- HÁ, desculpa – Karla disse na mesma hora – Eu devo ter ligado errado.
Karla desligou o celular e ficou rezando pra que ela não tivesse percebido nada, e Vanessa ficou cheia de perguntas
- Hannah? Jonas Brothers? – Ela sussurrou pra si mesma. Ela colocou o celular onde estava bem na hora que Miley voltou
- Essa mancha não vai sair – Miley declarou – Droga eu gostava tanto dessa causa.
Na hora que a Vanessa ia falar sobre o telefonema Robert apareceu na porta
- Oi garotas – Ele disse – A tia Gina mandou chamar, o bolo está pronto e com uma cara ótima
- Estamos indo – Vanessa disse
Os três desceram e foram pra cozinha, onde estava Gina e Stella colocando morangos no bolo.

- Uau – Miley disse maravilhada
- Mãe você se superou – Vanessa elogiou
- Que isso meninas – Gina disse envergonhada – Não é nada.
- É – Rob concordou – O trabalho foi todo meu – Brincou
- Mentira – Stella disse – Você ficou só olhando e tentando tomar de mim a panela de chocolate.
- Claro – Robert se defendeu – Você quer rapar sozinha.
Miley, Gina e Vanessa riram. Todas se serviram de bolo e ficaram conversando e brincando até ouvirem alguém entrando na sala e depois indo pra cozinha
- Greg – Gina exclamou contente.
- Tio? – Rob perguntou com as sobrancelhas franzidas – O que faz aqui tão cedo?
- Vim mais cedo – Ele disse – Tinha pouco trabalho.
Aquilo deixou todo mundo mais confuso ainda. Greg era um homem que sempre procurava trabalho, mesmo que não tivesse.
Miley reparou que o ambiente mudou no mesmo instante que Greg pois o pé dentro da cozinha. Derrepente Vanessa e Stella começaram a encarar somente o prato e Rob ficou mais rígido na cadeira. Gina se levantou pra dar lugar ao marido e começou a servi lo de bolo
- Sente se querido – Ela disse indicando a cadeira – Fiz um bolo.
Greg se sentou tirando seu casaco de militar. Ele finalmente pareceu reparar Miley sentada na mesa. Ele olhou pra todo mundo ali se perguntando se alguém iria apresenta lós
- Pai essa é uma amiga de escola, a Miley – Vanessa disse assim que entendeu seu olhar – Miley esse é meu pai Greg
- Muito prazer senhor – Miley disse formalmente
- O prazer é meu – Greg disse mais formal ainda
Gina serviu Greg de bolo e a única coisa que eles ouviram foi o garfo batendo no prato.
- Você são da mesma serie? – Greg perguntou quebrando o gelo
- Não – Miley respondeu – Eu ainda estou no 1° grau
- E anda com gente mais velha? – Greg perguntou de uma forma como se fosse errado.
- Pai olha o interrogatório – Vanessa advertiu
- Desculpa, é mania minha – Greg disse sorrindo
Miley sorriu de volta, mais meio com medo.
Assim que Miley terminou seu bolo ela disse
- Bom, eu tenho que ir
- Já? – Lamentou Gina – Não quer mais um pedaço de bolo?
- Não obrigado – Miley falou – Eu tenho que ir mesmo, combinei de ajudar um amigo, e já to atrasada
- Ajudar quem? – Van perguntou
- O Taylor – Miley respondeu – A prima dele vai fazer aniversario e ele pediu pra mim ajudar ele a comprar um presente. Você sabe, homens não sabem de nada
- Fiquei ofendido com isso – Rob brincou
Todas riram.
- Mais já ta tarde – Greg disse – Seu pai não vai brigar se você chegar tarde?
- É só eu chegar antes do toque de recolher que ele não liga – Miley explicou – Bom, já vou indo. Obrigado pelo bolo dona Gina, estava delicioso.
- Eu te levo até a porta - Vanessa disse
Vanessa levou ela e depois voltou e sentou na mesa sem dizer nada
- Eu não sabia que estava fazendo amigos?! – Greg disse de uma forma que acha isso ruim e bom ao mesmo tempo.
- Só alguns – Vanessa disse curtamente
- Essa menina parece legal – Greg disse como se quisesse outra coisa.
- Qual é o problema pai? – Vanessa disse indo direto ao ponto.
- Nada, só não gostei de ver que um pai deixa uma filha dessa idade sair com um rapaz a noite.
- Pai eles são apenas amigos – Vanessa reclamou – E tem outras formas de educar uma pessoa, não é só a sua forma que está certa.
- O que eu não acho certo é que uma garota de 15 anos saia a noite com um homem – Greg disse levantando o tom de voz.
- Então vamos deixar que o pai dela resolva isso – Vanessa disse mais alto ainda – Já não basta você implicar com tudo que eu faço, ainda vai criticar meus amigos
- NÃO LEVANTE A VOZ PRA MIM – Greg gritou batendo o punho na mesa
- Eu to me cansando disso – Vanessa gritou – Não posso falar, não posso ter amigos, não posso encolher as próprias roupas eu nem posso ao menos levantar a cabeça
- EU JÁ MANDEI SE CALAR – Greg berrou furioso – VÁ PRO SEU QUARTO AGORA MESMO E NÃO SAIA DE LÁ.
Vanessa saiu correndo pro quarto Rob se levantou e foi atrás dela, Stella se levantou também e subiu.

Já na casa dos Efron...

Já era noite a hora do jantar da casa deles. Zac estava com a Irma e a madrasta na sala de jantar esperando seu pai chegar do trabalho. Ele provocava Nicole enquanto batucava as taças de cristais com os garfos, fazendo a Verônica rir.
Assim que David chegou Zac parou
- Boa noite – David cumprimentou
- Oi amor – Nicole sorriu puxando ele pra um longo beijo
Zac fazia cara de nojo pra Verônica enquanto ela morria de rir
David se sentou assim que Nicole o soltou ele olhou pros filhos
- O que é isso no seu braço Verônica? – David perguntou se referindo a uma mancha rocha no braço dela
Nicole lançou um olhar demoníaco pra garota que ficou com medo
- Ela só caiu amor – Nicole disse rapidamente – Mais tem uma coisa mais urgente que você precisa saber.
Davis olhou pra ela assim como Zac
- Hoje ligaram da escola do Zac dizendo que eles tinham levado bebida alcoólica
- QUE? –David gritou
- A diretora mandou avisar pra você – Nicole disse
- Zac você fez isso? – David perguntou furioso
- Sim – Ele respondeu naturalmente – Mais não se preocupe eu já fui castigado
- Parece que não o suficiente – David reparou
- O que você vai fazer? – Zac desafiou – Vai tirar meu carro? Cortar minha mesada? Dizer que vai me mandar pra um colégio interno no Alasca? Você sempre me ameaça mais nunca faz nada.
- Será que você nunca vai crescer? – David perguntou – Será que não tem responsabilidade? Zac você é meu sucessor. Você é a pessoa que vai dar continuação aos meus negócios
- Isso é tudo que eu sou pra você não é? – Zac gritou – Um cara que tem o seu nome pra poder da continuação aos negócios.
Zac se levantou e saiu exaltado. David se levantou e foi atrás dele,Nicole sorriu ao ver pai e filho discutindo, Zac só parou quando chegou no seu quarto.
- Escuta aqui garoto – David ordenou – Eu sou o seu pai a única pessoa que te quis, lembre se disso
- Agora vai jogar isso na cara – Zac disse com um caroso na garganta
- É pra você dar valor ao que você tem – David disse – Eu te dou tudo e você me agradece assim? Sua mãe não te quis, ela te disse coisas horríveis, lembra?
- ELA FALOU AQUILO POR SUA CAUSA!! – Zac gritou descontrolado –VOCÊ TRAIU ELA, E ELA FICOU DAQUELE JEITO
- MAIS ISSO NÃO TEM NADA A VER COM QUE ELA FEZ COM VOCÊ – David gritou mais alto – ISSO NÃO É UMA DESCULPA PRA TUDO QUE ELA DISSE, NÃO SE ILUDA FILHO, SUA MÃE NUNCA TE QUIS, ELA MESMO DISSE ISSO NA SUA CARA.
Uma lágrima caiu dos olhos de Zac, mais ele limpou rápido
- Acho melhor dar valor as pessoas certas – Davis disse friamente – Ou se não vai acabar sem paitabém, por que gente pra administrar a minha empresa tem aos montes. Substituir você seria muito fácil.
David se virou e foi embora se sem importar de ver como o filho estava sofrendo com isso.




Agora é só escolher o pior pai... Comentem muito e Desculpa pela demora..bjô

5 comentários:

  1. É muitooo dificil escolher o pior pai!
    Mas omelhor cap escolhi esse!
    MUITOOO BOM!
    Sério se supero!
    Posta logoo
    bjss

    ResponderExcluir
  2. caraka a vida desses adolescentes são duras..mais a historia é linda..

    ResponderExcluir
  3. oii ainda bem que meus pais nao sao assim Uffa !! arrasaramo no capitulo posta rapidoo =D

    ResponderExcluir
  4. oiii
    os três pais são horriveis :S
    mas o que eu acho que é pior é o dó Zac!
    eu adorei, sempre vou amar seus capitulos :)
    bjx

    ResponderExcluir
  5. Que pais :S
    Adorei o capitulo bjs,Diana

    ResponderExcluir